Água Viva – Oficina G3

582
Published on 5 de janeiro de 2017 by

Madrugada adentro, fuga do dia
Deserto do Qatar
Procuro matar minha sede
Um Homem chega e paira Seu olhar

Vejo em Seu rosto uma luz
E o convido a ficar
Sua voz me constrange
Anseio escutar

Água viva, minha sede vem matar
Vem comigo não deixe a vida me devorar
Pare um pouco, me abrace um pouco
Me faz descansar
Toca o meu rosto
Me lembra como é bom amar

Não compreendo esse tempo
Se o dia clama, não posso parar
Na esteira dos dias
Meus pés cansados, mal podem acompanhar

Porém insistente
Ele vem e tira-me o chão
Anestesiado, decido me entregar

Água viva, minha sede vem matar
Vem comigo não deixe a vida me devorar
Pare um pouco
Me abrace um pouco, me faz descansar
Toca o meu rosto
Me lembra como é bom amar

Deixei de acreditar
E em minhas mãos cansadas confiar
Cansado de lutar
Entrego em Suas mãos meus dias

Água viva, minha sede vem matar
Vem comigo não deixe a vida me devorar
Pare um pouco
Me abrace um pouco, me faz descansar
Toca o meu rosto
Me lembra como é bom amar

Água viva, minha sede vem matar
Vem comigo não deixe a vida me devorar
Pare um pouco
Me abrace um pouco, me faz descansar
Toca o meu rosto
Me lembra como é bom amar

Artista Tag

Add your comment

Your email address will not be published.

um × 4 =