Aquieta-te – Obede e Tainá

428
Published on 15 de novembro de 2019 by

Parece que você se esqueceu de quem é filho
Parece que você se esqueceu quem é teu Pai!
Você anda ultimamente sem destino
E no teu pobre coração já não mora a paz

É sempre preocupado com o que vai acontecer
Com o que vai vestir, o que comer
A inquietação dominou você
Mas escuta uma voz falar contigo
A voz daquele que é mais que um amigo
E ele tem algo importante para te dizer

Está inquieto por quê?
Se eu tenho o controle das águas do mar
Se o vento tem que se acalmar
Quando eu mandar
E ficar quieto no seu lugar

Está inquieto por quê?
Se eu ainda fecho a boca do leão
Se for preciso, uso a jumenta de Balaão
E faço a estátua de Dagon
Diante de mim, se ajoelhar

Aquieta, descansa, jubila e canta
O mar está bravio, mas não perca as esperanças
Pois quem peleja por você não perde o controle

Se faltou, eu multiplico
Se morreu, eu ressuscito
Se o mar está na frente, marcha e deixa comigo
Aquieta o teu coração, pois eu estou contigo

Está inquieto por quê?
Se eu tenho o controle das águas do mar
Se o vento tem que se acalmar
Quando eu mandar
E ficar quieto no seu lugar

Está inquieto por quê?
Se eu ainda fecho a boca do leão
Se for preciso, uso a jumenta de Balaão
E faço a estátua de Dagon
Diante de mim, se ajoelhar

Tem que se aquietar, tem que descansar
Tem que jubilar, e a começar a cantar
Pois se o mar está bravio, eu vou estar na proa
Acalmando a tempestade!
Não tem por que esse dilema
Se morreu, não tem problema
Eu chego e ressuscito, e resolvo o problema
Aquieta esse teu coração, e lembras que eu sou teu Deus
Não te esqueças que o controle da tua vida
É todo meu, ele é todo meu

Não te esqueças que o controle da tua vida
É todo meu!

Artista