De Volta Para o Altar – Luanna e Francisco

38
Published on 10 de agosto de 2020 by

Alma cansada, coração bate forte no peito,
minha fé diz ore um pouco mais
a razão diz que não tem mais jeito
Os amigos que eu tenho onde estão
e chorando fico a me questionar
no meu quarto é só eu o violão
e as lágrimas meu rosto a banhar.

Quanto mais eu oro tudo é silêncio
mesmo assim Senhor eu não vou recuar
pois eu creio que viras ao meu encontro
Deus não deixe essa prova me matar.

Quebra esse silêncio, vem ao meu encontro,
perdoa meus erros pois sou imperfeito
eu quero ouvir de novo a Tua voz e contar os meus segredos.
Se for necessário eu nascer de novo
pode me quebra e refaz do teu gosto,
Tua presença é tudo que eu almejo pois não quero ser o mesmo!
Senhor pra ouvir a Tua voz eu me prosto de joelhos.

Quem te disse que não estou escutando
no silêncio filho não te abandonei.
Todo tempo eu estava te olhando
não morresse filho porque não deixei.
Eu permito a prova com finalidade
e a tua filho eu vou revelar
eu não era mais tua prioridade
então me calei pra você me chamar.

No silêncio eu trabalho, no silêncio te escuto,
no silêncio te ensino te pondo de volta ao rumo.
Isso não é abandono, muito menos desprezo,
só estou te ensinando a rever os teus conceitos.
O silêncio é necessário e o deserto também
te provei porque te amo faço tudo pra o teu bem,
Filho as vezes é preciso minha voz silenciar
só sentindo minha falta eu te trago de volta pro altar.

Senhor eu não entendia, mas agora eu entendo
Filho disso eu já sabia, sei que dói o meu silêncio.
Pai perdoa os meus erros
Filho estas perdoado, chega de se lamentar e recebe meu abraço.
Pai eu sei que não mereço, tanto amor e cuidado
pois sou frágil incapaz, ser humano limitado,
já não quero ser o mesmo, Pai eu te amo de mais!
Então fica filho na minha presença e não saia nunca mais.

Autor