Madrugada – Gabriela Gomes, Marquinhos Gomes

131
Published on 27 de março de 2020 by

Deus meu a madruga é lugar de adoração
E com lágrimas levanto às minhas mãos
E canto aleluia
E aí que eu ouço então a tua voz dizer
Trago a existência aquilo que morreu
Meu filho estou contigo

E só em tuas asas encontro abrigo
Olhando em teus olhos
Eu vejo um amigo
Senhor, toma me por inteiro
Em meu coração tem um encaixe
Perfeito que é a morada do
Deus que eu sirvo
Meu Pai, me chamou de filho

E aí que eu ouço então a tua voz dizer
Trago a existência que morreu
Meu filho, estou contigo

E só em tuas asas encontro abrigo
Olhando em teus olhos
Eu vejo um amigo
Senhor, toma me por inteiro
Em meu coração tem um encaixe
Perfeito que é a morada do
Deus que eu sirvo
Meu Pai, me chamou de filho

Sem teu amor
Eu não posso viver
Eu não posso existir
nem mesmo sobreviver
Meu senhor
Uma mãe sem seu filho
um poço sem água
Uma lata vazia eu sou

E só em tuas asas encontro abrigo
Olhando em teus olhos
Eu vejo um amigo
Senhor, toma me por inteiro
Em meu coração tem um encaixe
Perfeito que é a morada do
Deus que eu sirvo
Meu Pai, me chamou de filho

Autor