O Cirineu – Elaine Martins

99
Published on 13 de fevereiro de 2019 by

Não posso Te servir só com palavras
As minhas atitudes é que vão valer
Aquilo que eu digo não revela
A essência que existe dentro do meu ser
Verdade e religião não são sinônimos
Se dos órfãos e viúvas eu me esquecer
Eu estarei andando em engano
Se do pão que eu como, não oferecer

Um dia a multidão a Jesus oprimiu
Ao carregar a cruz a força se esgotou
E um dos soldados então coagiu
Um homem pra levar a cruz do Salvador
O seu exemplo arde em meu coração
Sua história aplaca a força do meu eu
Ser servo é o que me faz verdadeiro cristão
Senhor, me faça como Simão, o Cirineu

Eu quero ser a voz que consola em amor
Agente de alívio em meio a dor
Oásis no deserto pra abrigar
Aquele que feriu os pés ao caminhar
Sem reservas estender a mão
Chorar com os que choram em aflição
Ser porta voz do Reino e fazer o bem
Andar com Cristo é carregar a cruz de alguém

Se dou do que me sobra
Eu não fiz tudo o que realmente eu posso fazer e devo fazer
Com tudo que eu sou quero servir
Pois Te amar exige que eu ame ao outro
A ponto da minha própria vida oferecer

Autor: Eduardo Schenatto

Artista